25 de julho de 2006

Expliquem-me como se eu fosse... americano!

9 comentários:

SentadaAoLuar disse...

É q ainda há mts cegos p aí!!!

Francis disse...

pois, se fosses americano percebias...

se descobrires avisa.

francis disse...

Nem mais, mon ami, nem mais!!!

martelo disse...

por acaso o camelo que teve essa bela ideia do "explica-me como se fosse muito estúpido ou mais do que o pai... dele" devia comer palha...
e na figura os figurantes são todos terroristas "à maneira"

Biranta disse...

E continuam em grande...

Mais um Massacre!
Até Quando, Meu Deus!

“"O que está acontecendo na Palestina, não é justificável por nenhuma moralidade ou código de ética. Certamente, seria um crime contra a humanidade reduzir o orgulho árabe para que a Palestina fosse entregue aos judeus parcialmente ou totalmente como o lar nacional judaico."
Gandhi

O Destaque das notícias de hoje, dia 2006-07-30:

O ataque aéreo israelita esta madrugada (pouco depois da uma da manhã, apanhando todos a dormir) em Canãa, no Sul do Líbano, matou mais de 60 civis entre os quais 37 crianças e 9 mulheres. O balanço não é definitivo, podendo aumentar o número de vítimas, sob os escombros.

Sobe, assim, para 504 o número de mortos resultantes dos ataques de Israel, durante os últimos 19 dias.

O prédio atingido pelo míssil albergava, inclusive, refugiados vindos duma outra povoação…
Este tem sido o calvário daqueles povos perseguidos por Israel: fugir dum lado para o outro e continuar a fugir (os que sobrevivem a estes massacres premeditados e sistemáticos).

Israel diz que o alvo era uma base de lançamento de mísseis do Hezbollah. José Rodrigues dos Santos disse, em directo, que, chegado ao local pouco depois do ataque, não viu quaisquer vestígios da existência de material de guerra…

Agora eu não tenho dúvidas de que o rapto dos soldados Israelitas foi encenado, encomendado, o que se quiser, para servir de pretexto a mais este rol de crimes de Israel. O verdadeiro objectivo é prosseguir os massacres. Israel também usa aquele procedimento dos USA de "fabricar terroristas" (é para isso que mantem presos uma enorme quantidade de palestinianois, incluindo crianças), para depois cometer todos estes actos de chacina pretextando o terrorismo. Ainda haveremos de concluir, um dia, que alguns desses actos são cometidos por espiões provocadores...

Israel bombardeou, deliberadamente, um prédio cheio de civis?
Nãão?!
Eles nunca seriam capazes duma coisa dessas! Ou seriam? Ou era esse o objectivo desde o início?

Vejamos como os cronistas relatam alguns dos piores momentos deste conflito:

Continua em http://sociocracia.blogspot.com

Ana disse...

Ora aí está uma pergunta pertinente....

tosilva disse...

Todos os actos são BONS desde que sirvam os interesses americanos.
Há assim terroristas bons, a que chamamos democratas; e terroristas maus a quem é usual chamar ditadores.
Naturalmente que no Líbano-Palestina não existe uma guerra (onde está o exército libanês?). O que existe é uma carnificina. Os judeus tentam livrar-se dos palestinianos utilizando os mesmos métodos que os americanos usaram com os índios.

Anónimo disse...

ah pois e!!!
renegade

pisconight disse...

Esse é o grande problema... o não sermos americanos... e por isso não percebemos...
;)